Aldo Rebelo pode ser convocado devido a demora para marcar audiência

Gorette Brandão | 29/04/2014, 14h37

A Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) vai cobrar do ministro do Esporte, Aldo Rebelo, posição final sobre sua vinda ao colegiado para atender convite aprovado em fevereiro. O atraso na marcação da audiência foi abordado pelo presidente da CE, senador Cyro Miranda (PSDB-GO), ao fim da reunião desta terça-feira (29). Não está descartada a hipótese de aprovação de convocação, que torna a presença obrigatória, caso se prolongue a ausência de manifestação sobre a data.

— Não consigo entender que desde fevereiro o ministro não tenha encontrado uma hora e meia para vir aqui — comentou Cyro, após dizer que o ministro alega estar sempre em viagem para adiar a vinda.

Aldo foi convidado para falar sobre os planos e ações da pasta para o ano, inclusive as medidas relacionadas à realização da Copa do Mundo. Os ministros da Educação, José Henrique Paim, e da Cultura, Marta Suplicy, foram igualmente convidados e já compareceram. Cyro observou que a presença de Aldo é muito importante, especialmente diante dos atrasos na preparação do país para a Copa do Mundo.

— O Brasil está na marca do pênalti, literalmente — observou Cyro, salientando que a comissão está sendo impedida de debater as dificuldades e, assim, poder colaborar com eventuais soluções.

Questionado ao fim da reunião sobre se considera estabelecer prazo para receber uma resposta do ministro sobre a data da audiência, Cyro confirmou que vai esperar uma definição até o fim da primeira quinzena de maio. Não havendo solução, ele disse que logo em seguida tomará as providências necessárias para assegurar o comparecimento.

Antecedente

Durante o debate a vice-presidente da CE, senadora Ana Amélia (PP-RS), reforçou a importância da presença do ministro o quanto antes, inclusive por conta do "afunilamento" ainda maior da agenda ministerial a partir de agora. Sem dar nome, ela chegou a citar o caso ocorrido este ano com outro ministro do governo, convocado a comparecer à comissão depois de adiar seguidamente sua presença em audiência por ela mesma proposta.

— Melhor uma audiência que uma convocação, especialmente por se tratar de uma pessoa [Aldo] que queremos muito bem e que admiramos muito, que foi um deputado com grandes qualidades. Eu prefiro dar uma última chance antes de convocar — salientou a vice.

Filiado ao PCdoB, mesmo partido do ministro, o senador Inácio Arruda (CE) disse estar seguro de que a convocação será desnecessária. Ele disse que Aldo é uma pessoa “simples e de fácil acesso” e como prova disso registrou que, somente na Câmara dos Deputados, o ministro havia comparecido três vezes na semana anterior. Em tom de gracejo, Cyro questionou se o ministro tem “alguma coisa contra o Senado” ou se seria um caso de “paixão pela Câmara”.

Daniel Alves

Cyro também aproveitou a reunião para manifestar, em nome de todos os colegas de comissão, solidariedade e apoio a Daniel Alves, que integra a equipe de futebol do Barcelona, na Espanha. Também jogador da Seleção Brasileira, ele vítima de manifestação racista no campo do Villarreal, durante partida do Campeonato Espanhol disputada no domingo.

— O racismo é um problema mundial e precisa ser combatido com rigor. O Brasil é composto por brancos, negros, pardos, índios, orientais, enfim, por uma grande diversidade étnica. E, exatamente por esse motivo, temos a responsabilidade de dar o bom exemplo, combatendo a discriminação racial dentro e fora dos campos — afirmou.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

MAIS NOTÍCIAS SOBRE: