População idosa está aumentando e precisa de atenção dos governantes, afirma Anibal Diniz

Da Redação | 18/12/2012, 16h50

O senador Anibal Diniz (PT-AC) lembrou que a população idosa (acima de 60 anos) está aumentando em todo o mundo, afirmando que os governos devem dar mais atenção a essa faixa populacional.

De acordo com o Fundo de População das Nações Unidas, citou o parlamentar, o mundo terá um bilhão de idosos em 2022. Atualmente, disse o senador ainda citando a Organização das Nações Unidas (ONU), uma em cada nove habitantes da Terra tem 60 anos ou mais, ou seja, 11,5% da população.

O aumento da expectativa de vida está associado a melhorias na nutrição, avanços da medicina, no ensino e no nível econômico. Diante desse quadro, disse o senador, a ONU sugere que os países adotem novas políticas, ações, planos, estratégias e leis para a proteção dos idosos.

Com o aumento da longevidade dos brasileiros nas últimas décadas, avaliou o senador, as despesas com benefícios e pensões previdenciários aumentaram significativamente. Como o menor benefício pago pela Previdência Social é equivalente a um salário mínimo, disse Anibal Diniz, a cada novo aumento do salário as despesas previdenciárias aumentam em milhões de reais.

- A cada real a mais que o Brasil paga, na elevação do salário mínimo, nós temos uma expansão de R$ 230 milhões nas despesas do INSS – explicou.

Segundo a Secretaria do Tesouro Nacional, informou o senador, o déficit nas contas da Previdência este ano já passou de R$ 42 bilhões.

- Com a elevação da expectativa de vida, é evidente que está havendo um furo no cálculo e é preciso repensar em como garantir uma renda mínima para as pessoas que estão envelhecendo. O sistema previdenciário brasileiro é cronicamente deficitário e há especialistas que preveem o seu colapso num horizonte não muito distante, caso sejam mantidas as regras atuais que a regulam – disse.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

MAIS NOTÍCIAS SOBRE: