Papaléo propõe campanha de prevenção para idosos portadores do HIV

Da Redação | 03/12/2003, 23h00

Ao comentar o aumento de incidência de Aids entre pessoas com mais de 60 anos, o senador Papaléo Paes (PMDB-AP) pediu às autoridades públicas atenção especial aos idosos soropositivos e propôs mais campanhas de prevenção à doença, dirigidas particularmente a esse grupo. - Essas pessoas em geral não são submetidas a exames preventivos, ante a indevida suposição de que não têm regular atividade sexual, quando, de fato, ela foi significativamente ampliada com o emprego de tratamentos hormonais, de próteses, e o advento de medicamentos - afirmou. Entre 1991 e 2001, informou Papaléo, o número de soropositivos acima de 50 anos aumentou 98% entre os homens e 567% entre as mulheres devido à falta de informação e de medidas preventivas. Ele citou a Sociedade Brasileira de Geriatria, segundo a qual 37% dos pacientes nessa faixa etária morrem no mesmo mês em que descobrem que são portadores do vírus. Muitas vezes os idosos soropositivos, observou o senador, procuram se isolar diante da doença, escondem seu estado de saúde de familiares e se recusam a participar de grupos de auto-ajuda. O resultado, enfatizou o senador, é que, com a imunidade enfraquecida, eles -morrem por qualquer resfriado banal, envergonhados, isolados e censurados pela família-.

O senador registrou que o programa brasileiro de controle da Aids recebeu, em maio, US$ 1 milhão do Prêmio Gates de Saúde Global de 2003, entregue durante a realização da Conferência Anual Internacional do Conselho Global de Saúde. O prêmio será destinado ao financiamento de grupos de base comunitária que cuidam de órfãos portadores do HIV. Para ele, o prêmio foi atribuído pelo desempenho do Ministério da Saúde e do programa, que implementaram medidas para conter a disseminação da doença.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

MAIS NOTÍCIAS SOBRE: