JEFFERSON PÉRES DEFENDE APOSENTADORIA ESPECIAL PARA MULHERES

Da Redação | 13/12/1998, 23h00

Várias razões levaram o senador Jefferson Péres (PSDB-AM) a registrar nesta segunda-feira (dia 14) sua discordância em relação ao presidente da República, que defendeu a extinção da aposentadoria especial para as mulheres com o argumento de que elas têm longevidade maior que os homens. Três dessas razões realçam diferenças femininas que justificariam a manutenção de um tratamento diferenciado, conforme o princípio de justiça de não tratar igualmente os desiguais, disse o senador.- A biológica, na forma de menstruação, maternidade e menopausa; a sócio-cultural, que lhes impõe a maior parte dos serviços domésticos, somados hoje à atividade fora do lar; e a emocional, que nelas é maior, porque são mais sensíveis, embora, nós, homens, nem sequer percebamos, cegos pelo nosso machismo - salientou.Além dessas, Jefferson destacou a simples presença feminina como razão ainda mais relevante para conceder o benefício da aposentadoria às mulheres com menos tempo de serviço e contribuição do que o exigido dos homens. "Sua presença é um favor da vida", observou, socorrendo-se de Rubem Braga.Confessando-se, por condicionamento cultural, um cavalheiro à moda antiga, favorável à "discriminação positiva de outrora" - aquela que ensina a não bater em mulheres "nem com uma flor" e evitar dizer palavrões na frente delas -, Jefferson Péres alegou que "nunca será demasiado o bom tratamento que lhes dispensarmos".- Dou-lhes tudo que puder. Por gratidão. Por amor. Às jovens e às idosas, às belas e às menos dotadas. A todas, indistintamente - reiterou.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

MAIS NOTÍCIAS SOBRE: