Senadores defendem uso racional de recursos para combate à febre amarela

15/02/2018, 14h43 - ATUALIZADO EM 05/03/2018, 12h34

Os últimos dados divulgados pelo Ministério da Saúde sobre o avanço da febre amarela no país ainda causam preocupação. Entre julho do ano passado até a primeira semana de fevereiro houve 353 casos confirmados e 98 mortes. Os novos casos apareceram principalmente nos estados de São Paulo e Minas Gerais. Para a senadora Rose de Freitas (PMDB-ES), não são necessárias novas leis para enfrentar o problema, mas planejamento e uso racional dos recursos disponíveis. Já o senador Antônio Anastasia (PSDB-MG) defende a urgência de campanhas preventivas contra a doença. A reportagem é de Floriano Filho, da Rádio Senado.



Opções: Download