Senadores avaliam impacto do teto de gastos em áreas essenciais

19/12/2017, 16h41

Senadores de oposição advertem que a aplicação do Teto de Gastos Públicos pode paralisar o país em áreas essenciais e estratégicas. Segundo o senador Jorge Viana (PT-AC), as despesas obrigatórias, a exemplo da Previdência, superaram o teto permitido, que pela Emenda Constitucional 95, já em vigor no Orçamento de 2018, só podem aumentar em cerca de 3%, o que corresponde à inflação deste ano. Jorge Viana lembra que o próprio Congresso já fez cortes que afetarão programas na área de Ciência e Tecnologia, como os supercomputadores de Petrópolis, e do INPI, que faz a previsão do tempo. Já o governo diz que a redução de despesas impacta positivamente a inflação e a taxa de juros. O vice-líder do governo, senador Fernando Bezerra Coelho (PMDB-PE), admite que a equipe econômica terá que fazer escolhas diante das demandas. Mas pondera que o rigor do teto de gastos já traz benefícios  ao país.

Ouça os detalhes no áudio da repórter da Rádio Senado, Hérica Christian.



Opções: Download