Senado aprova em primeiro turno PEC que torna crime de estupro imprescritível

09/05/2017, 19h33 - ATUALIZADO EM 09/05/2017, 21h30

A proposta de emenda à Constituição que torna o crime de estupro imprescritível (PEC 64/2016) foi aprovada em primeiro turno no Plenário do Senado, nesta terça-feira (9). O estupro já é considerado crime hediondo e inafiançável, mas a lei atual estabelece um prazo máximo de 20 anos para a denúncia do ato. A relatora da proposta, senadora Simone Tebet (PMDB-MS), esclareceu que o medo do preconceito pode fazer com que a denúncia não seja feita na hora. O autor da PEC, senador Jorge Viana (PT-AC), disse que a mudança na lei “manda um recado duro” para os criminosos, mostrando que, se eles cometerem o estupro, poderão pagar pelo crime a qualquer tempo. A PEC, que foi aprovada com 66 votos favoráveis e nenhum contrário, precisa passar por novo turno de votação, antes de ser encaminhada à Câmara dos Deputados. Ouça a reportagem de Marcella Cunha, da Rádio Senado.



Opções: Download


Senado Agora
12h54 Liberdade de imprensa: Além de Glenn Greenwald, o Conselho de Comunicação Social aprovou convites a Claudio Dantas (O Antagonista), Daniel Bramatti (Abraji), Maria José Braga (Fenaj) e Carlos Ayres Britto, ex-ministro do STF.
12h30 Ética no currículo escolar: O Conselho de Comunicação Social aprovou parecer sobre o PL 559/2019, que inclui no currículo escolar o tema ética das redes sociais.
12h29 Convite a Glenn Greenwald: O Conselho de Comunicação Social (CCS) acaba de aprovar convite ao jornalista Glenn Greenwald, do site The Intercept, que tem publicado conversas entre Sergio Moro e Deltan Dallagnol. A audiência será em 1º de julho.
Ver todas ›