Ministro do trabalho nega que reforma trabalhista signifique retrocesso nos direitos dos trabalhadores

16/05/2017, 16h11 - ATUALIZADO EM 16/05/2017, 16h14

Na segunda sessão temática no Plenário do Senado sobre a reforma trabalhista (PLC 38/2017), o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, negou que a proposta signifique retrocesso nos direitos dos trabalhadores. Senadores protestaram contra a ausência do ministro na fase de debates. Um deles foi o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) que pediu para que a cadeira ocupada pelo ministro na Mesa permanecesse vazia. Apesar de lamentar a ausência no debate, o senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO), saiu em defesa do ministro e disse que a reforma trabalhista é necessária para fazer o Brasil competitivo em nível internacional. Ouça os detalhes no áudio da repórter da Rádio Senado, Marcela Diniz.



Opções: Download