Consultor do Senado explica estudo que concluiu que PEC das Diretas é constitucional

29/05/2017, 10h17 - ATUALIZADO EM 29/05/2017, 13h40

Autor do estudo "É constitucional a PEC das Diretas?", o consultor legislativo do Senado Renato Monteiro de Rezende concedeu entrevista nesta segunda-feira (29) à Rádio Senado. Ele explica os argumentos que usou para chegar à conclusão de que a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 67/2016 não viola a Constituição. A PEC, apresentada pelo senador Reguffe (sem partido-DF), prevê eleição direta para presidente e vice-presidente da República se houver vacância desses cargos nos três primeiros anos do mandato presidencial. Rezende afirmou na entrevista que a proposta não se enquadra no artigo 60 da Constituição, que define quatro dispositivos que não podem ser abolidos por uma PEC: forma federativa de Estado; voto direto, secreto, universal e periódico; separação dos poderes e direitos e garantias individuais. Também não há, segundo o consultor, violação do artigo 16, que proíbe alteração do processo eleitoral no período inferior a um ano antes do pleito. "Não existe prejuízo para candidaturas e para partidos. Pelo contrário, existe apenas uma ampliação do direito de voto", disse ele. Ouça a entrevista ao jornalista Adriano Faria:



Opções: Download