Senadores condenam tentativa de quebra de sigilo de jornalista

05/12/2016, 13h16 - ATUALIZADO EM 05/12/2016, 13h37

As manifestações ocorreram depois que uma decisão judicial de primeira instância determinou a quebra de sigilo de informações para identificar a fonte de reportagens publicadas em 2012 pelo jornal Folha de S.Paulo. A autorização judicial, atendendo a pedido do Departamento de Inquéritos Policiais de São Paulo, permitiu o acesso da Polícia Civil aos registros de três linhas de celular da jornalista Andreza Matais, atualmente editora de uma coluna do O Estado de S. Paulo (Estadão). A investigação que originou a determinação foi aberta a pedido do ex-vice-presidente do Banco do Brasil, Allan Simões Toledo, citado em reportagem da Folha de São Paulo sobre movimentação suspeita de dinheiro. O Presidente do Senado, senador Renan Calheiros, repudiou a autorização de quebra de sigilo e aproveitou para defender projeto de lei (PLS 280/2016), em análise na Casa, que atualiza a legislação sobre abuso de autoridade. A senadora Ana Amélia (PP–RS) também criticou a medida e afirmou que o resguardo da fonte é inerente à liberdade de imprensa. Mais detalhes com a repórter Rebeca Ligabue, da Rádio Senado.



Opções: Download