Relatório da CPI do Futebol altera legislação mas não prevê punições

11/05/2016, 17h29 - ATUALIZADO EM 13/09/2016, 23h28

O relatório da CPI do Futebol já foi concluído pelo senador Romero Jucá (PMDB-RR), mas o presidente da comissão, senador Romário (PSB-RJ), contestou a apresentação do documento e garantiu a continuidade dos trabalhos até o fim de agosto. O documento de Jucá tem caráter propositivo, e não prevê punições para os envolvidos nos escândalos da Confederação Brasileira de Futebol (CBF): os ex-dirigentes Ricardo Teixeira e José Maria Marín, e o atual presidente, Marco Polo Del Nero, que são investigados. Nas 380 páginas do relatório, Jucá propõe mudanças na legislação do futebol e na Lei de Lavagem de Dinheiro, além de fazer recomendações para a CBF. Em sua avaliação, a CPI já cumpriu as etapas de discussão, e, por isso, ele pediu em Plenário a publicação do material e a distribuição aos senadores. O repórter Hebert Madeira, da Rádio Senado, preparou uma reportagem sobre esse assunto. Acompanhe o áudio.



Opções: Download