Dinheiro repatriado pode financiar combate ao 'Aedes aegypti'

28/04/2016, 18h51 - ATUALIZADO EM 13/09/2016, 23h27

As ações de combate ao mosquito Aedes aegypti poderão ser financiadas com recursos vindos da repatriação de recursos do exterior. É o que prevê o relatório aprovado nesta quarta-feira (27) na comissão mista que analisou a Medida Provisória 712/2016. A proposta prevê ações de combate ao mosquito em todo o país. O relator da matéria, deputado Newton Cardoso Júnior (PMDB–MG) decidiu incluir no texto a criação do Programa Nacional de Apoio ao Combate às Doenças Transmitidas pelo Aedes, o Pronaedes, e as fontes de renda para o financiamento do programa: dinheiro arrecadado com a repatriação de recursos no exterior e o financiamento de pessoas físicas e jurídicas por meio da dedução do Imposto de Renda, quando há apoio a projetos ligados ao programa. Reportagem de Paula Groba, da Rádio Senado.



Opções: Download