Ivo Cassol quer aprovação rápida de projeto que autoriza uso da fosfoetanolamina

14/03/2016, 10h59 - ATUALIZADO EM 27/09/2016, 10h11

Já tramita no Senado o projeto (PLC nº 3/2016) que autoriza o uso da fosfoetanolamina sintética por pacientes diagnosticados com câncer. Também chamada de pílula do câncer, a substância foi desenvolvida por pesquisadores da Universidade de São Paulo, na cidade de São Carlos, e vem sendo apontada como medicação eficaz no tratamento da doença. Pacientes têm conseguido na Justiça o direito de receber a substância na forma de cápsulas. Por outro lado, especialistas alertam que é necessária a realização de mais protocolos científicos para comprovar a eficácia, descobrir os possíveis efeitos colaterais e, se comprovados os benefícios, a dosagem necessária para uso medicamentoso.

Para o senador Ivo Cassol (PP–RO), um dos autores do projeto e relator da matéria na Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT), a expectativa de resultados positivos com o uso da fosfoetanolamina é muito grande.  E o Senado não pode deixar de lado a esperança de quem tem câncer em obter um tratamento que apresente resultados positivos.  Ivo Cassol conversou sobre o projeto com o jornalista Adriano Faria, da Rádio Senado.

Saiba mais sobre a discussão acerca da liberação de comercialização da fosfoetanolamina sintética no verbete correspondente contido na sessão do Portal Agência Senado chamada Entenda o Assunto.



Opções: Download