Você está aqui: Página Inicial Redação e Estilo Estilo Estrangeirismo

Estrangeirismo

15/08/2012 - 21h56 | Atualizado em 23/11/2018 - 20h34


Os estrangeirismos devem ser usados com cuidado.

 

1. Se já existir uma forma aportuguesada, não use o estrangeirismo. É o caso de fôlder, em vez de folder; pôster, em vez de poster; uísque, em vez de whisky.

 

Veja lista de palavras que já estão aportuguesadas

 

 

2. Se houver um termo equivalente em português, prefira-o à palavra estrangeira. Use cardápio, e não menu; padrão, e não standard; primeiro-ministro ou premiê, e não premier; pré-estreia, e não avant-première.

 

 

3. Se o termo estrangeiro já foi incorporado à língua portuguesa na sua forma original, use-o sem itálico. Em geral, esses termos estão registrados nos dicionários e no Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa, da Academia Brasileira de Letras. São palavras de uso amplo, como marketing, office boy, blog, royalty, commodity, design, download, free shop, on-line, iceberg.

4. Quando forem necessárias, as palavras estrangeiras que não estejam incorporadas ao português na sua forma original e as que precisem ser traduzidas ou explicadas devem ser grafadas em itálico. É o caso de cluster, spread, subprime, trading, startup.

 

Também foi aprovada uma recomendação para que os estados-partes promovam estudos destinados a implementar um cluster embrionário do Mercosul, considerado imperioso para a melhoria genética das raças bovinas dos países que integram o bloco econômico.

 

“O alto spread bancário (diferença entre o que os bancos pagam aos aplicadores pelo dinheiro depositado e o que cobram pelos empréstimos) cobrado no país é um dos principais problemas a ser atacado”, disse o senador.

 

O substitutivo permite que a exportação possa ser ­viabilizada por meio de tradings (empresas que fazem a intermediação entre o exportador e o importador).

 

5. Palavras de formação híbrida (derivadas de estrangeirismos) são escritas sem itálico. Mantém-se a forma original do termo e acrescenta-se o prefixo ou o sufixo da língua portuguesa: showmício, motoboy, darwinismo (Darwin), neodarwinismo (Darwin), kantiano (Kant), byronismo (Byron).

 

 

6. Citações em língua estrangeira devem ser traduzidas, mesmo que bastante conhecidas. Grafe a citação em itálico, entre aspas e escreva a tradução entre parênteses, sem itálico, entre aspas. Por exemplo: "Libertas quae sera tamen" ("Liberdade ainda que tardia").

 

 

7. Nomes de instituições, empresas e estabelecimentos estrangeiros são escritos sem itálico, com iniciais maiúsculas. Quanto à tradução dos nomes, observe dois aspectos:

  • Marcas comerciais não devem ser traduzidas: Apple, Bank of Boston, Credit Suisse, Lehman Brothers.

Bancos como Citigroup, UBS e Bear Stearns tiveram perdas bilionárias e duas das maiores empresas hipotecárias dos EUA, a Fannie Mae e a Freddie Mac, foram outras vítimas da crise, já que detinham quase a metade dos US$ 12 trilhões em hipotecas no país.

 

Bancos como Citigroup, UBSBear Stearns tiveram perdas bilionárias e duas das maiores empresas hipotecárias dos EUA, a Fannie Mae e a Freddie Mac, foram outras vítimas da crise, já que detinham quase a metade dos US$ 12 trilhões em hipotecas no país.

 

De acordo com a consultoria Boston Consulting Group, revelou Dornelles, a Vale é uma das empresas que mais geraram valor para seus acionistas até 2008.

 

Iger passou a ser diretor de publicações da editora Fiction House, e Eisner passou a criar quadrinhos para a Quality Comics Group.

 

  • No que se refere a instituições e órgãos (museus, universidades, departamentos, zoológicos, bibliotecas, órgãos públicos, entidades financeiras), o importante é que a informação fique clara. Para isso, pode-se traduzir ou explicar o nome da instituição ou compará-la a órgãos similares brasileiros. Por exemplo: Universidade Harvard; Zoológico de San Diego; Federal Reserve, o banco central americano; Moma, Museu de Arte Moderna de Nova York; Museu do Louvre.


Murilo Bastos da Cunha é doutor em Ciência da Informação pela University of Michigan (1982), onde fez pós-doutorado em 1997.


Murilo Bastos da Cunha é doutor em Ciência da Informação pela Universidade de Michigan (1982), onde fez pós-doutorado em 1997.

 

Entre esses, citou o próprio Federal Reserve — o banco central dos Estados Unidos.

 

 

8. Para publicações estrangeiras citadas em matérias, use o nome original seguido de uma versão traduzida ou de uma explicação. O importante é deixar claro o conteúdo para o leitor.

 

Da mesma forma, a Diretoria-Geral para Meio Ambiente da Comissão Europeia reconhece, no documento Reclaiming City Streets for People: chaos or quality of life? (Reivindicando as Ruas da Cidade para as Pessoas: caos ou qualidade de vida?, em tradução livre), que há necessidade de convivência com os automóveis, mesmo evidenciando as prioridades.

 

9. A separação silábica de palavras estrangeiras deve seguir as regras da língua de origem, tanto para os nomes comuns quanto para os próprios. Em caso de dúvida, consulte um dicionário ou evite a separação das sílabas. As palavras da língua portuguesa derivadas de estrangeirismos seguem a regra do português, como em pizzaria: piz-za-ria.

Conteúdo relacionado



Atualmente não existem itens nessa pasta.

Conteúdo relacionado
Verbete Itálico