COPERI treina estagiários de TI em Pyhton e Django

Conhecimento será aplicado no aperfeiçoamento do SIGI
2021-12-16 19:40

Neste mês de dezembro, a Coordenação de Planejamento e Relações Institucionais – COPERI realizou um treinamento voltado aos estagiários em Tecnologia da Informação. Davi Galati e Lude Ribeiro receberam capacitação para atuar no Sistema de Informações Gerenciais do Interlegis – SIGI, importante ferramenta administrativa para aquela Coordenação.

A atualização do SIGI e do ambiente de desenvolvimento de sistemas foi o que impulsionou a realização do curso. Apesar de conhecerem a linguagem Python, os estagiários tiveram o primeiro contato com a ferramenta Django. Sesóstris Vieira, analista legislativo de informática do Senado e coordenador do treinamento, avaliou: “Lude e Davi são jovens muito dedicados e cientes da linguagem Pyhton, mas faltava-lhes conhecimentos práticos e aprofundados sobre ela, assim como do framework Django”, avaliou. Para Sesóstris, os conhecimentos adquiridos no treinamento permitirão que os estagiários consigam resolver demandas que tramitam no SIGI de maneira “mais assertiva e ágil”, disse.

Além do impacto positivo na carreira profissional, tendo em vista que Python é a linguagem mais popular e crescente no mercado mundial de TI, o estagiário Lude – estudante de Engenharia de Software – afirmou que o treinamento teve efeitos benéficos não só no dia a dia do estágio, mas também deu mais peso ao currículo e à carreira: “Pude conhecer melhor como funciona e como foi feito o sistema que utilizo, além de entender as exigências do mercado de trabalho”, analisou. Segundo ele, a rotina na COPERI tornou-se mais produtiva com o conhecimento fornecido pelo treinamento.

Leila Carvalho, chefe do Serviço de Atendimento à Comunidade do Legislativo, deu suporte ao curso ministrado pelo colega Sesostris. Leila afirmou: “Eles (estagiários) estão sendo nossos grandes colaboradores para as melhorias no SIGI”. Ela trabalha diretamente com os dois. Estudante de Ciências da Computação, Davi Galati garante que, com o treinamento recebido, a manutenção e atualização do SIGI só tende a avançar: “Esses últimos dias foram bastante significativos. Possibilitaram entender melhor as funcionalidades do SIGI”, disse Galati.

Versão 3.5 mais eficiente

Objetivo da capacitação, a atualização do SIGI, que se encontra na versão 2.7 da linguagem Python e 1.7 do framework Django, vai levar, até o início do Ano Novo, à migração para a versão 3.5: “A fim de evitar impactos no andamento normal do uso do SIGI pelo ILB - Interlegis, esta migração será realizada em dezembro e janeiro, que são meses de menor atividade no Poder Legislativo”, esclareceu Sesóstris.

Uma das funcionalidades que a atualização oferece é a interface para que os responsáveis técnicos das Casas Legislativas possam atualizar os dados cadastrais de sua Câmara ou Assembleia. Outro benefício é o acompanhamento de chamados e a ativação de serviços de forma automática, sem necessidade de abrir tíquetes no suporte. Segundo Sesostris, as versões ultrapassadas podem desencadear uma série de consequências, como a falhas de segurança e estagnação do SIGI.

Por Paloma Castro, supervisão David Varchavsky