Ferramentas Pessoais
Acessar

I Semana de Valorização da Primeira Infância e Cultura da Paz - 2008

Publicações dos Artigos dos Conferencistas da 1ª Semana de Valorização da Primeira Infância e Cultura da Paz
File A importância da formação dos professores da Primeira Infância - Regina Orth de Aragão - Ano 2008
Como sabemos tão bem que a constituição do psiquismo humano passa necessariamente pelo outro, através do que está em jogo nas relações iniciais que se estabelecem entre o bebê e os seus cuidadores principais, pensarmos nessas relações do ponto de vista do profissional que se encarrega dos cuidados de um bebê, seja no meio hospitalar, seja nas creches ou nos abrigos, coloca-se como uma necessidade ética para os psicanalistas que se propõem lidar com os desafios da transmissão para além dos limites da clínica.
File A resiliência e o brincar - Marilena Flores Martins - Ano 2008
"Resiliência é a capacidade de desempenhar-se bem, de uma forma socialmente aceitável, apesar de alguma forma de tensão e de adversidade, que fazem parte do alto risco de circunstâncias externas negativas." Dr. Jan Van Gils O conceito foi construído por educadores de base, educadores de rua ou educadores infantis, quando refletiram sobre as razões que levaram crianças em situação de vulnerabilidade e risco a desenvolver personalidades muito diferentes, sendo umas, mais resilientes que outras. Elencaram então alguns fundamentos que associamos agora ao brincar.
File As raízes da violência - Antonio Marcio Junqueira Lisboa - Ano 2008
Os distúrbios de conduta, cuja origem, na maioria das vezes, se inicia na primeira infância, são os responsáveis pelo crescente aumento das diferentes formas de violência. A falta de amor, atenção, segurança, limites, disciplina, valores, auto-estima, são fatores determinantes da nossa caminhada para o caos social. Os resultados das medidas punitivas e repressivas de combate à violência, que vêem sendo utilizadas, há mais de um século, têm sido decepcionantes. Ainda não nos conscientizamos de que é mais fácil construir crianças do que seguir tentando consertar adolescentes e adultos.
File Gravidez e desejo na adolescência - Diana Dadoorian - Ano 2008
Fátima "Soube sobre métodos aqui no hospital, sobre pílula, camisinha. Já usei pílula, o médico me deu, mas parei porque enjoava e porque queria engravidar". (Dadoorian, D. op. Cit. P. 148) A gravidez na adolescência é um tema atual e muito discutido. A maioria dos enfoques aceitos aponta como causa principal das preocupantes estatísticas a desinformação sexual das jovens. Será, no entanto, que no século XXI esta explicação ainda se sustenta? Mesmo com todas as limitações e dificuldades que o nascimento de um filho possa infligir à sua vida, como, por exemplo, a interrupção dos seus estudos, ou o seu adiamento; uma maior dependência econômica dos seus pais, visto que muitas jovens continuam morando com os pais após o nascimento do seu filho, enfim, apesar de todas essas dificuldades, é bastante comum ouvirmos a adolescente dizer que está contente por estar grávida e que quer ter um filho, como nos diz Fátima no relato citado acima.
File Liceça-maternidade de seus meses: Uma vitória da sociedade brasileira - Patrícia Saboya - Ano 2008
No dia 09 de setembro de 2008, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou a lei da licença-maternidade de seis meses. Foi uma grande vitória para todas as crianças brasileiras. Construída em parceria com a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), a nossa proposta que estabelece essa ampliação tem caráter facultativo e as empresas que aderirem à idéia receberão incentivos fiscais. O texto autoriza ainda a administração pública federal a conceder os seis meses e as regras valem também para as mães adotivas.
File Os cuidados em UTI Neonatal e a preocupação com o neurodesenvolvimento do recém-nascido - Nelson Diniz de Oliveira - Ano 2008
A oportunidade de definir qualidade na elaboração do desenho arquitetônico e na rotina operacional de uma UTI Neonatal, são momentos únicos e marcantes na cultura do trabalho desenvolvido pela equipe, porque determinam de sobremaneira o padrão dos resultados a serem obtidos. As novas gerações ou modelos de atenção em UTI Neonatal, procuram se estruturar para um cuidado que vai muito além do conceito do “state of art” tecnológico, desenvolvido entre a década de 1980 e 1990. Naquele momento, o papel da tecnologia, baseada em novos equipamentos, parecia ser o alicerce fundamental para o resgate da vida dos pequenos prematuros e de outros récem-nascidos enfermos.
File Papel do adulto na Primeira Infância - Adriana Friedmann e João Augusto Figueiró - Ano 2008
A Psicanálise pode não ter todas as respostas, mas tem o mérito inquestionável de tentar buscá-las incessantemente, através do trabalho investigativo diário nos últimos cem anos. A Pedagogia e a Educação há muito mais tempo envolvendo um contingente inimaginável de indivíduos em todo o planeta também tem contribuído com um fantástico acervo para o entendimento de questões fundamentais relativas ao desenvolvimento do ser humano em suas diferentes dimensões.
File Primeira Infância: Prioridade Zero - Laurista Corrêa Filho e Vital Didonet - Ano 2008
Prioridade zero significa a que vem em primeiríssimo lugar, certo? Errado. É zero mesmo, antes da primeira, da segunda, de todas as demais. Viadutos e creches são necessários, mas se tiver que fazer uma opção, em função do orçamento disponível, não deveria haver dúvida. Prioridade zero é o mesmo que prioridade absoluta.
File Um caso clínico de interação com alto risco biopsicossocial - Iole da Cunha - Ano 2008
Os pediatras neonatologistas, aprendem a lidar com a doença de seres tão imaturos como os RNPTEBP (recém-nascidos pré-termo de extremo baixo peso) ou RNTD (recém-nascidos a termo doentes), os quais provavelmente não sobreviveriam sem a tecnologia sofisticada, precisa, difícil e agressiva, aplicada nas UTIN (Unidades de Tratamento Intensivo Neonatal). Entretanto, pouco é ensinado, sobre a mente, o psiquismo, as percepções e o pensamento incipiente destes pequenos indivíduos. E também pouco, sobre o fato da natureza tê-los dotado com habilidades e necessidades específicas, que devem ser satisfeitas pelos cuidadores, a fim de promover o crescimento adequado de seus cérebros em desenvolvimento . Os cuidados em neonatologia, cada vez mais são orientados no sentido de buscar a saúde global dos futuros sobreviventes egressos das UTIN .