Diretora regional da ONU Mulheres visita Congresso e elogia trabalho da Bancada Feminina

23/06/2015 19:20

As Bancadas Femininas do Senado e da Câmara receberam nesta terça-feira (23/6), na sala de reunião da Mesa Diretora da Câmara dos Deputados, a primeira visita oficial da diretora Regional da ONU Mulheres das Américas e do Caribe, Luiza Carvalho. A diretora regional elogiou os trabalhos das parlamentares feitos no Congresso e pela presidente Dilma Roussef para o Brasil. “É muito importante a gente conhecer os anjos que estão fazendo milagres”, declarou.

Foto: Marcelo Favaretti

Além de citar grandes avanços proporcionados pelo parlamento no combate à violência contra a mulher  brasileira como a Lei do Feminicidio a diretora da ONU/Mulheres elogiou o fato das bancadas parlamentares do Brasil serem suprapartidárias e ainda destacou os grandes esforços da Casa na conquista de melhorias de bem estar, de igualdade de gênero e macroeconômicas.

Na ocasião, Luiza Carvalho, falou sobre a campanha “He for She”, da ONU Mulheres, tema que na língua portuguesa foi adaptado à “Eles por Elas”.  A diretora ressaltou a importância da campanha que traz um estudo muito diferente de concretização, de que as transformações não podem acontecer sem a participação dos homens. “Precisamos expandir a aliança para que essa mudança aconteça em pé de igualdade”, afirmou.

A procuradora da Mulher do Senado, senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB/AM) falou sobre o momento por que passa o parlamento brasileiro. “Estamos na fase de instalação da comissão que vai tratar da Reforma Política. Perdemos por 15 votos, sendo 296 a  favor, 101 contra ”, relatou a senadora, ao explicar que um dos motivos da sub-representação da mulher brasileira no parlamento “estão ligados a discriminação que sofremos no mundo”.

Ao destacar que “a hora é de retomar o debate”, Grazziotin lembrou a atuação de dois grandes aliados. “O Banco Mundial e a ONU/Mulheres têm sido  fundamentais para essa luta. Ultrapassamos a primeira batalha, mas temos toda uma guerra para vencer”.

A deputada Bendita da Silva (PT/SP) citou como grandes desafios a “redução da maioridade penal”, “combate ao extermínio da juventude negra” e a realização da “Marcha Nacional da Mulher Negra”, prevista para o segundo semestre deste ano. A agenda social do evento inclui ainda o combate à mortalidade materna de mulheres negras, com ações voltadas  principalmente à parteiras em regiões quilombolas.

registrado em: