Folha de São Paulo pede explicações sobre gastos com material de consumo

14

Prezada jornalista Débora Álvares, da Folha de São Paulo,

Conforme solicitado em 27/07/2015, a Assessoria de Imprensa do Senado Federal tem a informar o que segue, com base em informações da Secretaria de Patrimônio:

Os materiais de consumo se dividem em duas espécies:

- aqueles com a demanda previsível, pois atendem todas as áreas da casa para o consumo cotidiano e normal (sofrendo pequenas variações com sazonalidades administrativas, políticas e climáticas). Dentre esses produtos, podemos destacar os materiais de expediente, copa e cozinha, produtos de limpeza, produtos alimentícios (água, café e açúcar), combustíveis e medicamentos.

- e aqueles que não possuem demanda previsível, pois atendem às áreas específicas e técnicas, tais como Infraestrutura, Gráfica e informática. Por mais que essas áreas façam o planejamento anual de consumo, a variação mensal será grande, dependendo da demanda.

Especificamente em relação ao aumento observado entre maio e junho de 2015, destaca-se o aumento de consumo dos materiais de engenharia e produtos gráficos (materiais que não possuem demanda previsível), conforme tabela abaixo.

 

Consumo mensal em cada almoxarifado no ano de 2015

jan

fev

mar

abr

mai

jun

Central

R$ 32.343,93

R$ 50.964,90

R$ 70.599,63

R$ 65.699,51

R$ 54.544,06

R$ 75.346,55

COELET

R$ 7.689,86

R$ 90.563,67

R$ 36.293,87

R$ 10.988,48

R$ 5.692,56

R$ 4.036,97

COTELE

R$ 0,00

R$ 0,00

R$ 0,00

R$ 765,28

R$ 1.868,30

R$ 0,00

Alimentício

R$ 37.743,60

R$ 41.834,70

R$ 58.329,71

R$ 66.347,04

R$ 53.870,17

R$ 55.088,56

Engenharia

R$ 99.902,32

R$ 471.847,37

R$ 169.206,10

R$ 221.677,12

R$ 52.443,59

R$ 465.193,63

Informática

R$ 6.066,85

R$ 13.528,33

R$ 3.590,11

R$ 82.154,07

R$ 48.706,50

R$ 67.666,99

Gráfica

R$ 304.204,01

R$ 233.847,85

R$ 364.764,99

R$ 342.474,60

R$ 376.056,63

R$ 605.866,67

Transporte

R$ 31.289,04

R$ 49.467,52

R$ 69.445,37

R$ 59.810,81

R$ 62.716,88

R$ 67.965,13

Médico

R$ 1.370,22

R$ 1.407,87

R$ 3.520,66

R$ 8.270,49

R$ 4.354,42

R$ 2.621,77

 

 

 

 

 

 

Total

R$ 520.609,83

R$ 953.462,21

R$ 775.750,44

R$ 858.187,40

R$ 660.253,11

R$ 1.343.786,27

Demanda Previsível

R$ 102.746,79

R$ 143.674,99

R$ 201.895,37

R$ 200.127,85

R$ 175.485,53

R$ 201.022,01

Demanda não Previsível

R$ 417.863,04

R$ 809.787,22

R$ 573.855,07

R$ 658.059,55

R$ 484.767,58

R$ 1.142.764,26

Quanto ao consumo de “fios”, há uma grande obra de modernização das comissões e dos gabinetes, prevista no plano de trabalho da Casa, e grande quantidade de materiais foram adquiridos e já disponibilizados (saída dos almoxarifados) para a Secretaria de Infraestrutura - SINFRA dar prosseguimento às obras.

Por fim, a previsão de gastos do Senado Federal para os próximos meses está baseada somente na aquisição dos materiais com demanda previsível. A média de consumo desses itens está em torno de R$ 200.000,00 (duzentos mil reais) por mês. Estima-se que o consumo permaneça próximo a este valor nos próximos meses.

Atenciosamente,

Assessoria de Imprensa do Senado Federal


Gastos no Senado

Prezada jornalista Débora Álvares, da Folha de São Paulo,

Conforme solicitado em 27/07/2015, a Assessoria de Imprensa do Senado Federal tem a informar o que segue, com base em informações da Secretaria de Patrimônio:

Os materiais de consumo se dividem em duas espécies:

- aqueles com a demanda previsível, pois atendem todas as áreas da casa para o consumo cotidiano e normal (sofrendo pequenas variações com sazonalidades administrativas, políticas e climáticas). Dentre esses produtos, podemos destacar os materiais de expediente, copa e cozinha, produtos de limpeza, produtos alimentícios (água, café e açúcar), combustíveis e medicamentos.

- e aqueles que não possuem demanda previsível, pois atendem às áreas específicas e técnicas, tais como Infraestrutura, Gráfica e informática. Por mais que essas áreas façam o planejamento anual de consumo, a variação mensal será grande, dependendo da demanda.

Especificamente em relação ao aumento observado entre maio e junho de 2015, destaca-se o aumento de consumo dos materiais de engenharia e produtos gráficos (materiais que não possuem demanda previsível), conforme tabela abaixo.

 

Consumo mensal em cada almoxarifado no ano de 2015

jan

fev

mar

abr

mai

jun

Central

R$ 32.343,93

R$ 50.964,90

R$ 70.599,63

R$ 65.699,51

R$ 54.544,06

R$ 75.346,55

COELET

R$ 7.689,86

R$ 90.563,67

R$ 36.293,87

R$ 10.988,48

R$ 5.692,56

R$ 4.036,97

COTELE

R$ 0,00

R$ 0,00

R$ 0,00

R$ 765,28

R$ 1.868,30

R$ 0,00

Alimentício

R$ 37.743,60

R$ 41.834,70

R$ 58.329,71

R$ 66.347,04

R$ 53.870,17

R$ 55.088,56

Engenharia

R$ 99.902,32

R$ 471.847,37

R$ 169.206,10

R$ 221.677,12

R$ 52.443,59

R$ 465.193,63

Informática

R$ 6.066,85

R$ 13.528,33

R$ 3.590,11

R$ 82.154,07

R$ 48.706,50

R$ 67.666,99

Gráfica

R$ 304.204,01

R$ 233.847,85

R$ 364.764,99

R$ 342.474,60

R$ 376.056,63

R$ 605.866,67

Transporte

R$ 31.289,04

R$ 49.467,52

R$ 69.445,37

R$ 59.810,81

R$ 62.716,88

R$ 67.965,13

Médico

R$ 1.370,22

R$ 1.407,87

R$ 3.520,66

R$ 8.270,49

R$ 4.354,42

R$ 2.621,77

 

 

 

 

 

 

Total

R$ 520.609,83

R$ 953.462,21

R$ 775.750,44

R$ 858.187,40

R$ 660.253,11

R$ 1.343.786,27

Demanda Previsível

R$ 102.746,79

R$ 143.674,99

R$ 201.895,37

R$ 200.127,85

R$ 175.485,53

R$ 201.022,01

Demanda não Previsível

R$ 417.863,04

R$ 809.787,22

R$ 573.855,07

R$ 658.059,55

R$ 484.767,58

R$ 1.142.764,26

Quanto ao consumo de “fios”, há uma grande obra de modernização das comissões e dos gabinetes, prevista no plano de trabalho da Casa, e grande quantidade de materiais foram adquiridos e já disponibilizados (saída dos almoxarifados) para a Secretaria de Infraestrutura - SINFRA dar prosseguimento às obras.

Por fim, a previsão de gastos do Senado Federal para os próximos meses está baseada somente na aquisição dos materiais com demanda previsível. A média de consumo desses itens está em torno de R$ 200.000,00 (duzentos mil reais) por mês. Estima-se que o consumo permaneça próximo a este valor nos próximos meses.

Atenciosamente,

Assessoria de Imprensa do Senado Federal