Cúpula do Senado é iluminada em amarelo em apoio à prevenção do suicídio

Da Redação | 08/09/2017, 15h09 - ATUALIZADO EM 08/09/2017, 20h35

A partir desta sexta-feira (8), a cúpula do Senado será iluminada com a cor amarela em apoio à campanha de prevenção ao suicídio. Denominada de Setembro Amarelo, a campanha se estende por todo o mês em que é celebrado, no dia 10, o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio. A iluminação especial foi solicitada pelo senador Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), autor do projeto que institui a Semana Nacional de Valorização da Vida (PLS 260/2016).

O Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio foi proposto em 2003 pela Associação Internacional para Prevenção ao Suicídio (IASP, sigla em inglês), resultado de uma parceria com a Organização Mundial da Saúde (OMS). No Brasil, o movimento começou em 2014, numa iniciativa do Centro de Valorização da Vida (CVV), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP). Vários países participam da campanha por meio da iluminação, na cor amarela, de prédios públicos e monumentos durante todo o mês de setembro.

Suicídio

Dados da OMS indicam que mais de 800 mil pessoas cometem suicídio a cada ano no mundo. É a segunda principal causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos, atrás apenas dos acidentes de trânsito. O Brasil é o 8º país com o maior número de mortes desse tipo.

Em Brasília, o CVV tem um serviço de atendimento telefônico que auxilia pessoas em situação de fragilidade. Os atendentes estão disponíveis 24 horas, e o atendimento é sigiloso, basta ligar 141. Também é possível buscar ajuda pelo site da entidade.

Reportagem especial

A Rádio Senado produziu uma reportagem sobre o tema, com opiniões de especialistas e recomendações sobre como identificar atitudes de pessoas que podem estar pensando em suicídio. "Prevenção do suicídio: é preciso falar. É possível salvar vidas", da jornalista Paula Groba, recebeu o prêmio Microfone de Prata, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)