Reguffe critica intenção do governo de aumentar impostos

Da Redação e Da Rádio Senado | 08/08/2017, 20h49 - ATUALIZADO EM 09/08/2017, 08h56

O Senador Reguffe (sem partido-DF) criticou a intenção do governo de aumentar impostos. Para ele, o governo precisa, sim, fazer ajuste fiscal, mas não mexendo na receita. Na visão do senador, é necessário cortar despesas e parar de gastar sem responsabilidade, ou a população acaba pagando pela ineficiência do Estado. O senador declarou que sempre ficará ao lado do contribuinte nas votações e se posicionará contra propostas que prevejam o aumento de impostos

- Eu tenho um lado: meu lado não é partido, meu lado não é governo: meu lado é o lado do contribuinte brasileiro, da população, que paga impostos caros e que quer receber serviços públicos de qualidade pelos impostos que paga. Hoje, paga impostos caros e não recebe esses serviços - disse o senador.

Reguffe apresentou sugestões para o governo cortar gastos, como acabar com os voos particulares de ministros pagos pelo erário, cortar carros oficiais e cargos comissionados e diminuir o número de ministérios. Ele disse ter feito sua parte, com cortes que geraram uma economia direta de mais de R$ 16 milhões por ano em seu gabinete. Entre as medidas que levaram essa economia estão abrir mão da verba indenizatória e do carro oficial e reduzir o número de assessores, diminuindo a verba para pagamento a menos da metade.

Reguffe também criticou o possível aumento do déficit público, diferença entre despesas e receitas, anunciado pelo governo. A meta do déficit para 2017 já havia sido aumentada para R$ 139 bilhões e, de acordo com o senador, pode ser alterada novamente. Para ele, o governo não pode fixar uma meta, gastar mais do que arrecada e simplesmente aumentar a meta, prejudicando a população.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)