José Medeiros indica inconsistências na entrevista de Joesley Batista à 'Época'

Da Redação e Da Rádio Senado | 19/06/2017, 20h28 - ATUALIZADO EM 20/06/2017, 08h52

O senador José Medeiros (PSD-MT)  disse que a entrevista concedida por Joesley Batista à revista Época apresenta inconsistências. Como exemplo, o senador lembra que o empresário acusa Lula e o PT de institucionalizarem a corrupção no Brasil, mas afirma que o líder da quadrilha é o presidente Michel Temer que está há apenas um ano no poder.

Segundo o senador, Joesley Batista entrou em contradição ao falar sobre sua relação com o ex-presidente Lula. José Medeiros afirmou ainda que a JBS teve o seu maior lucro nos governos do PT e tentou a todo custo impedir a realização de uma CPI para investigar os empréstimos concedidos pelo BNDES.

- Como um passe de mágica teve um partido aqui que, quase a meia noite do ultimo dia, retirou cinco assinaturas. Vou contar só o milagre porque não gosto de mal de partido, mas retiraram as assinaturas como num passe de mágica. Aí eu me pergunto: se não tinha nada de antirrepublicano porque que fizeram isso? - indagou o senador.

Medeiros também comentou texto do jornalista Augusto Nunes que chamou a delação dos diretores da empresa JBS de “meia delação premiadíssima”. Segundo o senador, em troca da impunidade perpétua, os empresários contaram só um pouco do que sabiam.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)