Acir Gurgacz critica embargo das obras de recuperação da BR-319

Da Redação e Da Rádio Senado | 19/06/2017, 19h16 - ATUALIZADO EM 19/06/2017, 19h17

Em pronunciamento nesta segunda-feira (19), o senador Acir Gurgacz (PDT-RO) lamentou que, mais uma vez, a obra de recuperação da BR-319, que liga Porto Velho a Manaus, foi embargada, pela justiça federal, em decisão liminar, a pedido do Ministério Público Federal.

Gurgacz lembrou que a paralisação das obras da rodovia, que já consumiram mais de R$ 100 milhões em estudos de impacto ambiental e no asfaltamento de 250 quilômetros em cada extremo da estrada, gera muitos prejuízos à população.

— Eu comparo esse embargo ao desperdício de dinheiro provocado pela corrupção em nosso país. É praticamente a mesma coisa: dinheiro está sendo gasto, está sendo esperdiçado e perdido por falta de diálogo entre os órgãos do governo e o Ministério Público Federal. E as pessoas não recebem a contrapartida pelos impostos que pagam, não estão tendo acesso a essas obras, a essa rodovia — afirmou.

Acir Gurgacz destacou a importância da BR-319 para a integração regional da Amazônia. O senador lembrou que, em 2015, a justiça federal também havia determinado a suspensão da obra, que foi retomada em 2016, quando foi interrompida por causa das chuvas na região. Em maio de 2017, os trabalhos recomeçaram, para, logo em seguida, serem novamente embargados há duas semanas.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
10h55 Reforma Trabalhista: O líder do governo e relator da reforma, Romero jucá (PMDB-RR) comunicou que vai rejeitar todas as emendas apresentadas ao seu texto. No fim da tarde, quando começar a fase de discussão, ele disse que vai expor os motivos.
10h53 Adaptação de brinquedos: A Comissão de Direitos Humanos (CDH) cancelou a reunião desta quarta (28), quando seria votado, entre outros, o PLS 382/2011, que obriga 'shoppings' a oferecer brinquedos adaptados para crianças com deficiência.
10h52 Reforma Trabalhista: O primeiro a ler o voto em separado na CCJ é o senador Eduardo Braga (PMDB-AM). Em seu voto, ele pede a rejeição do projeto de reforma trabalhista (PLC 38/2017).
Ver todas ›