Com foco na integração, Grupo Parlamentar Brasil-Argentina é reinstalado

Da Redação | 07/06/2017, 16h49 - ATUALIZADO EM 07/06/2017, 18h40

O Grupo Parlamentar Brasil-Argentina teve as atividades retomadas nesta quarta-feira (7), em reunião na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado (CRE). O objetivo é incrementar a integração entre os dois países, conforme afirmou o senador Fernando Collor (PTC-AL), presidente da Comissão Executiva do grupo parlamentar.

Collor aproveitou para anunciar que o acordo de cooperação comercial com o Mercosul deverá ser ratificado pela União Europeia em oito meses, conforme lhe foi informado pelo embaixador da União Europeia no Brasil, o português João Cravinho.

— O comércio traz no seu bojo a paz. Nenhum país se integra comercialmente se não tiver o interesse em conviver em paz — afirmou Collor.

A reunião foi acompanhada pelo embaixador argentino no Brasil, Carlos Magariños. Ele saudou o processo de integração entre os dois países e disse que esse pode ser um exemplo para outras nações.

— Em um mundo cheio de ameaças, a preocupação com a integração volta a ser um patamar importante para comparação de outros processos no mundo. O comércio aumentou entre Brasil e Argentina e o trabalho parlamentar é o que dará uma tendência de longo prazo — afirmou o embaixador.

A vice-presidência do Grupo Parlamentar será exercida pela deputada Bruna Furlan (PSDB-SP), que prometeu trabalhar para que acordos entre os dois países sejam firmados.

Os senadores Lasier Martins (PSD-RS) e Ana Amélia (PP-RS) comemoraram a instalação do grupo. “É um momento magnífico de união entre Brasil e Argentina”, afirmou Lasier. Para Ana Amélia, embora o Mercosul não tenha avançado tanto quanto se esperava, quando de sua criação há 30 anos, os resultados “foram suficientes para mostrar que o projeto não deve ser abandonado”.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)