Regina Sousa não acredita em paz no país com eleição indireta

Da Redação | 18/05/2017, 13h47 - ATUALIZADO EM 18/05/2017, 14h53

Seja na hipótese de renúncia ou de impedimento do presidente Michel Temer (PMDB), a senadora Regina Sousa (PT-PI) não acredita que uma eleição indireta para escolher seu sucessor vá devolver a paz ao país.

— Haverá revolta nas ruas. Os presidentes da Câmara e do Senado devem encaminhar as propostas pela eleição direta — recomendou Regina, nesta quinta-feira (18), no Plenário do Senado.

Em aparte, o senador Paulo Paim (PT-RS) disse que a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) deveria se reunir já na próxima semana para, de forma rápida, aprovar um caminho para as “diretas já”.

Após ressaltar a importância da mobilização popular em torno do afastamento de Temer, a senadora Fátima Bezerra (PT-RN) disse que uma manifestação convocada para esse domingo (21) será suficiente para barrar qualquer acordo voltado para eleição indireta de presidente da República.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)