Combate à discriminação de gênero nas relações de consumo passa pela CDH

Da Redação | 17/05/2017, 15h49 - ATUALIZADO EM 17/05/2017, 16h00

O Código de Defesa do Consumidor poderá receber em breve dispositivos de combate à discriminação de gênero. A proposta (PLS 332/2015) passou nesta quarta-feira (17) pela Comissão de Direitos Humanos e segue para a Comissão de Transparência, Governança, Fiscalização e Controle e Defesa do Consumidor.

O texto classifica como abusiva toda publicidade que incite a discriminação baseada em gênero, e proíbe o reforço de estereótipos de gênero na exposição de produtos ou serviços para crianças e adolescentes.

O projeto é da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), que chefia a Procuradoria da Mulher do Senado. Ele define como direito básico do consumidor a proteção contra qualquer publicidade que incorra em discriminação baseada em gênero.

A senadora defende que o combate à discriminação de gênero nas relações comerciais é especialmente importante na oferta de produtos e serviços destinados ao público infanto-juvenil. Exemplos que Vanessa oferece para esse quadro são a associação de brinquedos específicos a meninos ou meninas.

"O aprendizado dessas práticas começa muito cedo, de modo até inconsciente, é repetido de maneira supostamente inofensiva e contribui para diminuir os horizontes a serem alcançados por meninos e meninas. Brinquedos são para divertir, estimular, despertar interesses. Não se deve restringir quais deles estarão ao alcance", argumenta a senadora na justificativa do projeto.

A relatora do projeto, senadora Ângela Portela (PDT-RR), apresentou voto favorável sem alterações. Para ela, a proposta tem "elevado valor" e se encaixa na demanda social por uma "ofensiva contra estruturas sociais machistas que restringem oportunidades às mulheres".

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Senado Agora
13h34 Fundos de universidades: CAE aprova o PLS 16/2015, que autoriza a criação e o funcionamento de fundos patrimoniais vinculados ao financiamento de instituições públicas de ensino superior. A matéria precisa ser votada em turno suplementar na Comissão.
12h23 Escolas: a Comissão de Educação aprova projeto determinando que equipamentos de informática apreendidos em aduanas sejam destinados para escolas federais, estaduais e municipais (PLC 123/2015). Proposta segue para a CAE.
11h58 Audiências: Comissão de Educação aprova realização de duas audiências públicas, cujas datas ainda serão definidas. Uma com o ministro da Cultura, Sergio Sá Leitão e outra para discutir a nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC).
Ver todas ›