Gladson Cameli critica ação de órgãos de proteção do meio ambiente no Acre

Da Redação e Da Rádio Senado | 16/03/2017, 15h40 - ATUALIZADO EM 16/03/2017, 18h51

O senador Gladson Cameli (PP-AC) criticou nesta quinta-feira (16) em Plenário a política de desenvolvimento do estado do Acre, em grande parte calcada no conceito da "florestania", a cidadania dos povos da floresta. Para ele, "os órgãos responsáveis pela proteção ao meio ambiente promovem uma perseguição implacável aos produtores rurais do estado". Ele disse ser preciso colocar o estado no "trilho certo" para o desenvolvimento.

— Temos praticamente mais de 30 milhões de amazônidas sofrendo com essa política de preservação da Amazônia. Enquanto nós não precisamos desmatar, porque o que já está lá dá para produzir e colocar na prática. Só se falam de Amazônia quando é no momento de dizer preservação. Quando se fala em desenvolver e dar oportunidade para os pais de família para trabalhar ninguém olha para a região norte.

Cameli afirmou que a indústria de alimentos emprega atualmente 16 mil pessoas, mas que o número de postos de trabalho pode até triplicar se o custo da produção baixar. Ele também cobrou mais investimentos na recuperação de estradas vicinais, bem como nas ligações rodoviárias entre o estado do Acre e o Oceano Pacífico.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)