Senadores retomam às 14h julgamento de Dilma Rousseff

Teresa Cardoso | 25/08/2016, 12h55 - ATUALIZADO EM 25/08/2016, 16h07

Iniciado às 9h34 desta quinta-feira (25), foi suspenso às 12h51, devendo ser retomado às 14h o julgamento de Dilma Rousseff por crime de responsabilidade. A sessão começou com uma exortação do presidente do Supremo Tribunal Federal e do processo de Impeachment, Ricardo Lewandowski, sobre o papel que o Senado assume com “a grave atribuição de decidir o futuro de uma presidente da República”.

É a segunda vez, em sua história, que o Senado se reúne para deliberar sobre o impeachment de um presidente da República. A primeira foi há 24 anos, quando foi afastado o hoje senador Fernando Collor (PTC-AL), um dos juízes que agora julgarão Dilma Rousseff.

A primeira manhã dessa sessão de julgamento foi marcada por questões de ordem apresentadas pelos defensores da presidente e replicadas pelos senadores que apoiam seu afastamento definitivo. Nenhuma questão de ordem foi aceita por Lewandowski.

Na retomada dos trabalhos, prevista para as 14h, deverá ser ouvida a primeira testemunha da acusação, Júlio Marcelo de Oliveira, procurador do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União. No total, deverão ser ouvidas oito testemunhas – duas de acusação e seis apresentadas pela defesa.

As oito testemunhas a serem interrogadas estão, neste momento, hospedadas num hotel no centro de Brasília, incomunicáveis e sem acesso a rádio, telefone, internet nem televisão.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)