Dário Berger expressa preocupação com crise econômica

Da Redação e Da Rádio Senado | 10/03/2016, 18h58 - ATUALIZADO EM 10/03/2016, 21h00

O senador Dário Berger (PMDB-SC) disse estar preocupado com a situação econômica do Brasil e suas consequências para os trabalhadores.

A queda de 3,8% do produto interno bruto em 2015, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é gerada pela inflação, desemprego, falta de crédito e juros altos, cujas taxas figuram entre as maiores do mundo.

Por causa das taxas elevadas, lembrou Dário Berger, o Brasil chegou a pagar R$ 500 bilhões em juros da dívida pública no ano passado, valor muito superior ao que foi destinado à saúde, cerca de R$ 130 bilhões, e à educação, que recebeu R$ 120 bilhões.

— O problema dos juros altos é que eles desestruturam a produção. Com juros altos, não tem crédito. Se não tiver crédito, não tem investimento. Sem investimento, não tem produção. Sem produção, não tem riqueza. Sem riqueza, não tem consumo. Sem consumo, não tem imposto. E sem imposto, a União não vive, os estados vão à falência, como estamos percebendo aí. E os municípios estão numa situação de quase calamidade.

Dário Berger disse que os números só não foram piores porque o agronegócio teve um crescimento de 1,8%. A indústria caiu 6,2% e o setor de serviços, 2,7%.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)