Cristovam Buarque defende medidas para ajustar economia do país

Da Redação e Da Rádio Senado | 18/02/2016, 20h31 - ATUALIZADO EM 18/02/2016, 20h57

O senador Cristovam Buarque, do Distrito Federal, disse que, apesar de ter mudado de partido (do PDT para o PPS), continuará defendendo medidas para ajustar a economia do país e combater a crise, a inflação, o desemprego e o endividamento do setor público.

No entanto, o ajuste não deve ser de choque, mas paulatino, para proteger as camadas mais pobres, os investimentos em infraestrutura do país e o diálogo com toda a sociedade.

Para Cristovam, a melhoria dos índices econômicos não deve ficar restrita a metas como o simples aumento do produto interno bruto (PIB). Deve, na verdade, gerar riqueza a partir de bens de alta tecnologia, que aumentem o bem-estar das pessoas e preservem o meio ambiente, por exemplo.

Ele ainda defendeu investimentos em educação para aumentar a produtividade dos trabalhadores. Na opinião dele, a economia do presente e do futuro também exige pessoas capacitadas para produzir bens e serviços diferenciados.

— Somos um país paupérrimo em inovação. As invenções aqui dentro vieram de fora. Os remédios que nós tomamos são fabricados hoje em laboratórios brasileiros. Mas é a mistura das fórmulas que vêm de fora. Dos equipamentos médicos que nós usamos, raros são criados no brasil, raríssimos.

Os registros oficiais do Senado só refletem a mudança partidária após a formalização perante a Mesa.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)