Ronaldo Caiado condena decreto que cria o Cadastro Nacional de Especialistas na área médica

Da Redação e Da Rádio Senado | 12/08/2015, 18h05 - ATUALIZADO EM 12/08/2015, 20h17

O senador Ronaldo Caiado (DEM-GO) quer sustar o decreto do governo que cria o Cadastro Nacional de Especialistas.

Caiado, que é médico, explicou que o decreto permite que, a critério do Ministério da Saúde, sejam equiparados aos médicos especialistas que concluíram residência os profissionais que cursarem mestrado, doutorado ou qualquer outro curso de pós-graduação, mesmo sem prática.

O senador informou que a formação dos residentes exige mais de 8 mil horas de aulas, sendo 90% de prática, enquanto que, pelo decreto, uma mera especialização, com 360 horas, pode alçar um médico à condição de especialista, a critério do Ministério da Saúde.

Para Caiado, o decreto do governo desmotiva os jovens a se especializarem, revela a interferência do governo no setor e a sua falta de compromisso em melhorar o atendimento à saúde.

Se estivesse preocupado, disse ele, o governo adotaria outras medidas muito mais eficazes do que essa, que simplesmente transforma a formação de médicos especialistas em uma linha de montagem de automóveis.

- Eu desafio o governo a aprovar carreira de Estado para médico. Aí sim vai se levar médico para o interior. O cidadão vai chegar a ser um médico de Estado por competência, por mérito, para atender em qualquer lugar desse Brasil afora porque sabe que lá terá carreira de Estado e não vai ficar na dependência, do humor, da vontade do líder político. Quer melhorar a saúde no Brasil? Aceite os 10% da receita corrente bruta para financiar a saúde, mas não venham com essa demagogia de destruir o que existe de mais reconhecido e respeitado no Brasil, que são as sociedades de especialidades em nosso país - afirmou o senador.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

MAIS NOTÍCIAS SOBRE:
Senador Ronaldo Caiado