Humberto Costa critica projeto da terceirização e acusa PSDB de trair os trabalhadores

Da Redação | 23/04/2015, 12h32 - ATUALIZADO EM 23/04/2015, 19h23

Ao fazer duras críticas ao projeto aprovado na Câmara que regulamenta a terceirização (PL 4.330/2004), o senador Humberto Costa (PT-PE) acusou o PSDB de ter se unido a "outras forças conservadoras para derrotar o trabalhador brasileiro".

Em discurso no Plenário nesta quinta-feira (23), o parlamentar ressaltou que, sob o comando do presidente da legenda, senador Aécio Neves (MG), os tucanos, pressionados pela opinião pública, chegaram a ensaiar um voto contrário ao projeto, mas "iludiram a população".

O PSDB mostrou de que lado está: contra os trabalhadores e suas conquistas sociais. A orientação partiu exatamente do presidente, Aécio Neves. O partido diz uma coisa em público e se articula com o que há de mais conservador para enterrar conquistas trabalhistas — afirmou.

Humberto Costa garantiu que do jeito que foi aprovado pela Câmara, o projeto não passará no Senado, se depender do PT. O partido considera a proposta uma "violência social", que vai produzir um regime paralelo de empregos precarizados.

Nós do PT não aceitamos esse tipo de violência social. É nossa obrigação assegurar a proteção do emprego direito na atividade finalística. Não há qualquer negociação que possamos abrir sobre atividade-fim das empresas. Ou ela sai do projeto ou votaremos contra — advertiu.

Ainda segundo Costa, se aprovada, a proposta permitirá a superexploração do trabalhador, o que não pode ser solução para o problema econômico.

— Essa formula já foi aplicada e experimentada. Só dissemina miséria e desigualdade social — afirmou.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)