Gilberto Carvalho poderá falar sobre 'investigação paralela' no caso Rosemary Noronha

Simone Franco | 14/06/2013, 11h50 - ATUALIZADO EM 03/02/2015, 23h58

A Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA) deve ouvir na terça-feira (18), a partir das 8h30, esclarecimentos do ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, sobre uma "investigação paralela" à sindicância aberta pela Casa Civil sobre suposto tráfico de influência envolvendo a ex-chefe do escritório da Presidência da República em São Paulo, Rosemary Noronha.

A vinda de Gilberto Carvalho à CMA foi solicitada pelo senador Aloysio Nunes (PSDB-SP). Seu requerimento está fundamentado em reportagem publicada pela Revista Veja, em maio passado, que acusa a Secretaria-Geral da Presidência de tentar impedir que a sindicância da Casa Civil sobre a atuação de Rosemary Noronha no governo fosse concluída.

"As investigações comprovaram que Rosemary Noronha usava o cargo que ocupava para traficar interesses, influenciar decisões e indicar pessoas na estrutura pública. No entanto, a matéria informa que no mesmo dia (em que a Casa Civil abriu a sindicância), a Secretaria-Geral da Presidência instaurou um processo 'com vistas a obter informações, acompanhar as apurações e orientar os órgãos envolvidos'", comentou Aloysio.

O senador por São Paulo quer que Gilberto Carvalho não só esclareça a existência da "investigação paralela", como também confirme a produção de um documento resumindo as conclusões desta apuração, que conteria uma série de ressalvas e advertências ao trabalho da comissão de sindicância.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

MAIS NOTÍCIAS SOBRE: