Pedro Simon defende poder de investigação do Ministério Público

Da Redação | 16/07/2012, 19h55 - ATUALIZADO EM 20/02/2015, 00h12

O senador Pedro Simon (PMDB-RS), em pronunciamento nesta segunda-feira (16), lamentou a posição de parlamentares e entidades de classe que pretendem limitar ou impedir o poder de investigação do Ministério Público (MP), o que, em sua opinião, dificultará a apuração de crimes.

Simon comentou o julgamento de recurso extraordinário atualmente em curso no Supremo Tribunal Federal (STF), manifestando indignação com os dois primeiros votos, contrários ao poder de investigação do MP.

– Muita coisa deve ser mudada, deve ser alterada, mas não extinguir o direito da promotoria de abrir inquérito. Eu confio no Supremo, apesar dos dois primeiros votos, surpreendentemente a favor, dos policiais, contra os procuradores. Acredito na decisão final do Supremo Tribunal Federal, mas, de modo especial, confio no Congresso Nacional. Na Câmara, mas especialmente no Senado – disse.

O parlamentar também comentou projeto em tramitação na Câmara dos Deputados que torna a investigação criminal uma atribuição privativa da polícia (PEC 37/2011).

– Por que tirar do promotor o direito de investigar também? Por quê? Hoje tem o delegado e tem o promotor. Cada um age melhor do que o outro porque um fiscaliza o outro.

O senador defendeu o fim do inquérito policial, dizendo que, em outros países, assim que o fato ocorre, inicia-se o processo. Ele classificou como um “retrocesso” tirar dos promotores a responsabilidade de iniciar o levantamento dos fatos.

A senadora Ana Amélia (PP-RS), em aparte, cumprimentou o posicionamento do colega e sublinhou a ampliação das prerrogativas do Ministério Público pela Constituição de 1988.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

MAIS NOTÍCIAS SOBRE:

Senado Agora
11h25 Burocracia: a CAE aprovou o PLS 286/2015, que amplia de R$ 1 milhão para R$ 10 milhões o patrimônio da companhia que não precisará mais publicar documentos exigidos pela Lei das Sociedades Anônimas (Lei 6.404/1976).
11h13 Corrupção: a CAE aprovou, em decisão terminativa, o PLS 291/2014, que destina prioritariamente à educação os recursos públicos recuperados em ações de combate à corrupção. O projeto deverá seguir diretamente para a Câmara.
11h04 Imposto rural: com a aprovação do PLS 640/2015 pela CAE, o agricultor brasileiro poderá ter a opção de usar o Cadastro Ambiental Rural (CAR) para apuração da área tributável de sua propriedade rural, sobre a qual é calculado o imposto.
Ver todas ›