Suplicy defende revisão de plano de carreira para docentes de universidades federais

Da Redação | 26/06/2012, 20h55 - ATUALIZADO EM 19/02/2015, 23h40

O senador Eduardo Suplicy (PT-SP) fez um apelo ao governo federal, em discurso nesta terça-feira (26), para que apresente o mais rápido possível uma proposta de plano de carreira para os professores das universidades federais, bem como para os funcionários dessas instituições.

Suplicy disse que os docentes e servidores das universidades federais têm enfrentado um momento difícil em face da greve deflagrada pelo Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes).

A greve, que já dura 50 dias e atinge 57 instituições federais de ensino, tem o objetivo, explicou Suplicy, de reivindicar carreira única com incorporação de gratificações em 13 níveis remuneratórios, variação de 5% entre níveis a partir do piso para regime de 20 horas correspondente ao salário mínimo do Dieese (atualmente calculado em R$ 2.329,35) e percentuais de acréscimo relativos à titulação e ao regime de trabalho.

— Com 50 dias de paralisação, caso a negociação não se inicie e seja exitosa nossos estudantes estarão com o semestre perdido. Num país em crescimento como o Brasil, onde existe uma enorme carência de profissionais qualificados nas áreas técnicas, é de fundamental importância termos professores bem pagos e motivados para exercício de suas funções — disse.

Suplicy sugeriu, inclusive, que o teto remuneratório do serviço público nacional deveria ter como base, não os vencimentos de ministro do Supremo Tribunal Federal, mas sim o salário dos professores, por serem estes, em sua opinião, os verdadeiros suportes de crescimento do país.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

MAIS NOTÍCIAS SOBRE: