Senadores rejeitam Valcke e insistem em debater com presidente da Fifa

Simone Franco | 03/04/2012, 17h15 - ATUALIZADO EM 19/02/2015, 21h36

A Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) desmarcou reunião que aconteceria na próxima quarta-feira (11) com o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, e com o secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke, a respeito do projeto da Lei Geral da Copa (PLC 10/2012). Os senadores ouvirão apenas o ministro, mas na terça (10). E vão marcar um outro debate na expectativa de que venha o presidente da Fifa, Joseph Blatter.

A Comissão vai inclusive enviar comunicado à Fifa reiterando a necessidade de que a entidade máxima do futebol seja representada por seu presidente, e não pelo secretário-geral.

As autoridade brasileiras têm evitado tratar dos assuntos do Mundial com Valcke, desde que ele deu a polêmica declaração de que o Brasil não estava organizando a Copa do Mundo como deveria e, por isso, seus dirigentes mereciam “um pontapé no traseiro”.

Na ocasião, o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, pediu formalmente à Fifa que trocasse o interlocutor, mas não foi atendido. Valcke disse, depois, que sua expressão foi mal traduzida e que o significado real era de que o trabalho precisava ser acelerado.

Relatora do projeto de Lei Geral da Copa na CE, a senadora Ana Amélia (PP-RS) insistiu na necessidade de que Blatter venha ao Senado. Apesar de concordar com o formato do debate, o senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) ponderou que recusar a eventual substituição de Blatter por um representante da Fifa poderia criar uma dificuldade complementar.

– O calendário de votação já está apertado e é preciso ter agilidade nesta matéria – observou Cunha Lima.

Aprovado pela Câmara no último dia 28, o projeto da Lei Geral da Copa será examinado simultaneamente pela CE, CCJ e CAE. A matéria disciplina os direitos comerciais da Fifa na realização da Copa das Confederações de 2013 e da Copa do Mundo de 2014 e estabelece privilégios temporários para a entidade e seus associados durante os eventos esportivos.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

MAIS NOTÍCIAS SOBRE:

Senado Agora
13h11 Impeachment: O presidente do STF e do processo, Ricardo Lewandowski, suspendeu a sessão. A retomada foi prevista para ocorrer às 14h10.
13h10 Impeachment: Ao concluir os argumentos, José Eduardo Cardozo fez apelo aos senadores para aceitarem a proposta de Dilma Rousseff de convocação de plebiscito. Se está se julgando o "conjunto da obra", o povo é que deve decidir, alegou.
13h03 Impeachment: “Não há ato omissivo, nem comissivo, não há dolo, não há má fé”, afirmou José Eduardo Cardozo em defesa de Dilma Rousseff. Ele disse que todas as decisões do TCU foram aplicadas retroativamente para os decretos e as “pedaladas”.
Ver todas ›