Governadores utilizaram R$ 17 bilhões de depósitos judiciais para não fechar 2015 no vermelho

18/01/2016, 19h52 - ATUALIZADO EM 19/01/2016, 09h59

Para fechar as contas de 2015, alguns estados precisaram recorrer a depósitos judiciais. Onze dos 27 governadores usaram R$ 17 bilhões desses recursos para pagar parcelas da dívida com a União, precatórios e até aposentadorias de servidores. As operações só foram legalizadas com a aprovação do projeto de lei do Senado (PLS 183/2015) que autorizou o uso de recursos depositados em juízo. Mais detalhes com a repórter da Rádio Senado Marcella Cunha.



Opções: Download


Senado Agora
21h17 Paulo Bauer: "O processo acontece porque é constitucional, é legal e é juridicamente perfeito. Não, não é golpe político ou parlamentar, pois ocorre em razão de vários crimes de responsabilidade", disse o senador do PSDB-SC, o 32º a falar.
21h06 Garibaldi Alves: 31º a debater o processo de impeachment, o senador do PMDB-RN classificou de brilhante o relatório de Antonio Anastasia, que aponta crime de responsabilidade da presidente afastada Dilma Rousseff.
20h57 José Aníbal: "Uma mentira dá uma volta inteira ao mundo antes de a verdade ter a oportunidade de se vestir", disse o senador do PSDB-SP, citando Winston Churchill. Ele disse que Dilma Rousseff iludiu o país ao maquiar as contas públicas.
Ver todas ›