Ferramentas Pessoais
Acessar

Mobilidade Urbana

Informações sobre os programas de incentivo a mobilidade sustentável no Senado - Mobibike, carona solidária, etc.

 

Carona Solidária

O programa Carona Solidária promove a reserva de vagas de uso comum para os carros que, de acordo com a norma, chegarem com ao menos três servidores, colaboradores ou estagiários da Câmara ou Senado

Este programa é mais um incentivo à mobilidade sustentável, uma vez que cria vagas próximas aos prédios reservadas para quem cumprir a regra de lotação por veículo. Assim, para cada carro participante, serão pelo menos dois outros carros a menos no trânsito emitindo poluição.

O Senado ainda incentiva o uso de dois aplicativos para facilitar que os colaboradores localizem aqueles que moram nas proximidades de sua residência e possam combinar horários e pontos de encontro. Para saber mais clique aqui.

O programa entrou em vigor no mês de julho de 2015.

Bicicletários

Confira onde estão localizados os Paraciclos e vestiários aqui.

 

Histórico

Determinada a adotar práticas ambientais, além de estimular e promover ações sustentáveis no âmbito da Casa, a equipe do NCAS promoveu, no início de setembro de 2013, uma pesquisa de opinião junto aos servidores/ciclistas da Casa, para coletar demandas, sugestões e propostas. O resultado final da coleta serviu de base para a elaboração de uma política interna de mobilidade.

Aproveitando as comemorações da Semana da Mobilidade Urbana (22 a 28 de setembro) o Senado Verde estimulou a realização de debates (nas mídias sociais) para discutir modelos alternativos e sustentáveis para o deslocamento de pessoas nos grandes centros urbanos. O objetivo da criação da Semana é instigar a reflexão sobre a dependência do transporte individual motorizado e sobre os modelos de desenvolvimento adotados pela sociedade moderna. A mobilidade urbana é fundamental para os habitantes poderem usufruir do espaço urbano com qualidade de vida, segurança, autonomia, liberdade e dignidade.

Os servidores/ciclistas da Casa criaram um e-grupo, posteriormente denominado de Mobibike( Grupo de Mobilidade do Senado Federal ) e lideraram o processo de mobilização e apresentação de reivindicações visando a promoção de melhorias das condições de acesso, segurança e qualidade de infra estrutura da Casa.  Foram inúmeras as colaborações do MobiBike  no processo de elaboração do projeto de reforma e construção dos novos bicicletários, seja através de legislações, “cases de sucesso” ou simples sugestões que foram utilizadas na definição das diretrizes, obras de infraestrutura, como adaptações de vestiários, construção de paraciclos e aquisição de armários.

1º Bicicletaço do Senado Federal

No Dia Mundial da Saúde (07/04/14) um grupo de servidores efetivos, comissionados e terceirizados da Casa – mobilizados pelo MobiBike/Senado - deixaram seus carros em casa e foram ao trabalho de bicicleta. Cerca de trinta e cinco servidores se encontraram no Museu Nacional, os percorreram 2,5 quilômetros da Esplanada dos Ministérios e ao chegarem ao Congresso Nacional foram recebidos pela Diretora Geral Adjunta, Ilana Trombka. Ela apresentou os planos da Diretoria-Geral, que incluíram a construção imediata de novos paraciclos, alguns deles próximos a vestiários com chuveiros.

A iniciativa visava sensibilizar a Mesa Diretora para a necessidade de se construir infraestrutura que viabilizasse a utilização de bicicletas nos deslocamentos diários de casa ao trabalho. Entre as reivindicações, destacaram-se a instalação de paraciclos, e locais adequados para a troca de roupa e banho (chuveiros e armários). Naquele momento o Senado possuía apenas quatro paraciclos: um instalado na Chapelaria (entrada central) e os demais no Prodasen, Gráfica e no ponto final das vans.

O Mobibike conseguiu apoio dos senadores Eduardo Suplicy (PT-SP), Rodrigo Rollemberg (PSB/DF) e Randolfe Rodrigues (PSOL/AP) que solicitaram à Mesa do Senado um posicionamento sobre a reivindicação de servidores para instalação de bicicletários e vestiários nas dependências da Casa.  Em resposta, o Presidente Renan Calheiros determinou que o primeiro secretário da Mesa do Senado, Flexa Ribeiro (PSDB-PA), estudasse a possibilidade de instalação dos bicicletários e o atendimento das demais demandas, o mais rápido possível.

Os servidores pediram ainda que o Senado atualizasse suas normas administrativas quanto à circulação de ciclistas com suas bicicletas, equipamentos e trajes próprios, nas dependências do Senado.

O Núcleo de Coordenação de Ações Socioambientais (NCAS) apoiou, desde o surgimento, as demandas apresentadas pelo movimento Mobibike. No ofício entregue à Presidência, os servidores usavam como argumento o fato de as políticas de apoio aos ciclistas fazerem parte da Lei de Mobilidade Urbana (Lei 12.587/2012). Além disso, afirmavam que as ações têm baixo custo e grande impacto ambiental. Os servidores também mencionaram as obras de construção da rede de ciclovias que estavam em andamento em Brasília, e que atenderiam todos os servidores que trabalham na Esplanada dos Ministérios.

Em 6 de junho de 2014, aproveitando as comemorações da Semana do Meio Ambiente,  foi realizado o segundo “bicicletaço” , com o mesmo percurso do anterior. A nova mobilização buscava mostrar à administração da Casa a importância da criação de um espaço para os ciclistas nas dependências do Senado. Em julho, foi publicado um ato administrativo que facilitou o uso de bicicletas como meio de transporte pelos servidores da Casa.  Foi autorizada a criação de espaços especializados e a instalação de paraciclos em pontos estratégicos. A norma também liberou o uso de vestiários e permitiu o acesso aos locais de trabalho com trajes esportivos, com algumas restrições e com uso obrigatório do crachá. Recentemente, foram instalados paraciclos em diversas áreas do Senado. Na principal entrada do Palácio do Congresso, conhecida como Chapelaria, a nova estrutura já disponibiliza mais 14 vagas para bicicletas. Também foram ampliadas as vagas de paraciclos no prédio do Interlegis e no Prodasen  e em outros pontos internos.

As demandas apresentadas para o projeto de mobilidade utilizando bicicletas foram regulamentadas com os atos APS 10/2014 e ADG 8/2014 e consolidadas com a implantação dos paraciclos, adequação de banheiros e instalação de armários.

Segunda Etapa

Após o término da primeira etapa que se concretizou com a finalização da instalação dos paraciclos, iniciou-se uma nova fase.

Nesta fase o Senado pretende construir estruturas próprias para atender aos ciclistas compostas por vestiários com banheiros e armários, além de paraciclos maiores para adequar a estrutura à demanda dos ciclistas,

Esta etapa está prevista no Plano de Gestão e Logística Sustentável do Senado e alinha-se com a carta de compromissos assinada em 2015 pela Diretoria da Casa.